Crescendo como Saumensch

Estréia: Divergente

domingo, abril 20, 2014 Julia Pinheiro 0 Comments



Essa quinta-feira dia 17 foi a estreia de Divergente aqui no Brasil, a adaptação literária baseada do livro de mesmo nome escrito pela autora Veronica Roth. O filme foi dirigido por Neil Burger e teve em seu elenco Shailene Woodley, como Beatrice PriorTheo James, como QuatroJai Courtney, como Eric; Zöe Kravitz, como ChristinaMaggie Q, como TorriAnsel Elgort, como CalebKate Winslet, como Jeanice e Miles Teller, como Peter. 


Dessa vez não vou fazer nenhum resumo do filme pois ele é uma adaptação literária de um livro que já foi resenhado aqui no blog, e como o enredo é o mesmo, para saber mais sobre a história do filme basta ler a resenha dele aqui. Mas, para quem ainda não viu, confira abaixo o trailer que já te da uma noção sobre o filme:


Então esse post vai ter basicamente minha opinião sobre o filme, por esse motivo não indico a leitura desse post caso você ainda não tenha lido o livro, pois traz spoillers. E é claro também vai ter muitas fotos e um especial com a trilha sonora maravilhosa do filme.


Primeiramente: só ir na estreia de uma adaptação literária sempre vale muito a pena. A sensação angustiante de ver tudo que você imaginou, na tela do cinema pela primeira vez e dividir essa emoção com tantos outros fãs é muito empolgante. Inclusive, nós, já fãs do livro Divergente, fizemos um combinado de ir com as roupas equivalentes a das nossas facções, vocês fizeram? Como foram? Eu fiz  >.<


Agora, minha opinião: muita gente falou que foi perfeito e super fiel ao livro, o que eu achei um exagero. O filme foi bom? Foi.  Empolgante? Foi. Fiel ao livro? Não, definitivamente não. Muitas coisas importantes faltaram, e eu sei que não tem como fazer todas as cenas, até porque o livro é bem longo, mas o que eu mais senti falta foi de atitudes e falas importantes que acabaram não sendo iguais, ou nem acontecendo nas cenas do filme.


Um exemplo disso foi da situação de dúvida da Tris quanto ao fato do Quatro ser ou não um divergente. Essa dúvida é importante pois é graças a ela que a Tris acaba buscando ele no meio da multidão durante invasão à Abnegação, e essa dúvida só surge por conta do comentário da Tori, quando ela fala que só quem sabe sobre os divergente é quem teve uma experiência direta ou indireta, e como esse comentário não surge, na hora da invasão do filme muitas pessoas que não leram o livro ficaram perdidas ( sei disso porque estava ao lado de duas ).


Também achei que as cenas foram muito jogadas, o que aconteceu em meses pareceu ter acontecido em apenas uma semana, isso acabou contribuindo para o fato de as relações entre os personagens terem ficado muito superficiais, o que já acontece naturalmente nos filmes, pois não há aquela descrição minuciosa sobre os sentimentos, porém senti mais falta nesse por conta de o livro ser muito intenso. Um exemplo disso é a relação de amizade com a Christina, o Al e o Will, e principalmente com o Quatro, senti falta de mais dos pequenos gestos de gentileza dele, e dos motivos explicados por cada gesto de grosseria, e principalmente do processo “conhecendo o Quatro”.


Mas fora essas mudanças no enredo toda a produção foi fantástica! Ver todas as facções na cerimonia de escolha, ver a o pessoal da Audácia pulando do trem, ver a Tris correndo pela primeira vez, a cena da tirolesa... Foi muito emocionante! Essas partes realmente não ficaram devendo nada e superaram todas as minhas expectativas! Me arrepiei de mais e conseguiu me trazer a mesma felicidade que senti durante a leitura do livro.


Também tiveram saídas e cenas bem engraçadas que envolveram todo o cinema, fora as cenas Fourtris que arrepiaram todos os pelos do corpo. Porém, achei que as mortes no filme não foram tão emocionantes quanto as do livro, e acabaram perdendo seu significado. Achei que a mãe da Tris morreu muito mais bravamente no livro, enquanto no filme ela morreu “por acidente”.


Outra coisa que achei que mandaram muito bem foi na introdução do filme, onde teve toda uma explicação daquela sociedade distópica, e falou muito claramente sobre todas as facções, com um auxilio visual maravilhoso, onde mostrou a Amizade trabalhando nas fazendas, a Erudição nos seus laboratórios... e também uma visão maravilhosa de toda a cidade.



Minha avaliação final? Um filme bom, mas não tão bom quanto o livro, mesmo que isso seja impossível, acho que depois da adaptação de Em Chamas ficou meio difícil superar, por isso minha nota fica em 8,5 o que eu ainda considero boa nota, e super indico esse filme tanto para quem quer conhecer a série como pra quem já é fã. Foi muito envolvente apesar de não ser muito fiel, e os cenários foram bem reais, valeu cada centavo.

Mais uma coisa que a produção esta de parabéns é a trilha sonora, que eu particularmente achei maravilhosa, tanto pelos artistas e ritmos quanto pelas letras das músicas que descrevem bem o enredo e as situações. Confiram a trilha sonora:



Esse banner é tão perfeito *-*

E ai, alguém ai já viu o filme? Qual foi sua opinião sobre? E quem não viu, ansiosos para ver?



You Might Also Like

0 comentários

Flickr Images