Crescendo como Saumensch

Os super poderes da leitura

sábado, junho 21, 2014 Julia Pinheiro 10 Comments


Hoje deve fazer mais de um mês que essa revista saiu nas bancas, mas eu simplesmente não podia deixar de falar dela aqui. Antes tarde do que nunca, não?

A revista Veja de maio trouxe duas super matérias interligadas:O assunto começava falando do fenômeno dos livros escritos pelo John Green que puxou para uma segunda matéria que falava sobre "os superpoderes da leitura".


A primeira matéria é basicamente uma grande introdução ao universo Nerdfighter ( nome dos fãs de John Green ), falando dos títulos de seus livros, mencionando seu canal, o Vlogbrothers e o fato de a Intrínseca comprar os direitos de publicação de Quem é você, Alasca? ainda esse ano.


 A maioria das informações, em quatro páginas de matéria, na realidade não são nada de mais, apenas fatos que quase todo mundo conhece, porém resumidas e compactadas em um só lugar visto de um ponto de vista profissional porém ainda com um tom informal. Um exemplo de tal informalidade é vista logo no começo da matéria quando o repórter começa descrevendo a bagunça que é o escritório de John ( lugar onde ocorre a entrevista ). Porém, o que realmente dá um algo a mais para a reportagem é justamente as passagens de fala direta do John Green, onde podemos identificar seus pensamentos através de suas próprias palavras ( os favoritos estarão no final no post ). 


A reportagem também conta com o número de vendas de cada um de seus livros ( tirando aqueles que possuem outros escritores ) e um quadrinho na parte inferior das páginas onde podemos ver a opinião dos leitores quanto a escrita do João Verde ( ♥ ) o que para pessoas como eu, que conhecem poucos leitores para trocar experiencias e opiniões, se torna sempre uma experiência muito boa saber o que outras pessoas tem a dizer dos livros e autores que eu também gosto.

Nessa parte de baixo esta a opinião dos leitores alternada com suas respectivas fotos.


Quanto a segunda matéria é bem interessante não só para aqueles que apreciam a leitura de ficção mas também para os curiosos e os apreciadores das coisas que acontecem no nosso tão complexo cérebro. A reportagem trás à tona uma discussão sobre algo que esta sempre presente mas nunca pensamos muito a respeito: porque nos importamos tanto com história e pessoas que nem são reais? 


Essa é uma pergunta cuja a resposta esta longe de ser encontrada pela ciência, porém ao logo da reportagem são discutidas duas teorias: 


A primeira se baseia no fato de que nosso cérebro esta configurado para a empatia com a dor do próximo, e que, talvez, essa empatia acabe ocorrendo acidentalmente mesmo se esse "próximo" não existe de verdade.


Já a segunda teoria é um pouco mais complexa, pois ela diz que talvez essa empatia que ocorra com seres inexistentes não seja um "acidente" mas sim uma ação proposital do seu cérebro para utilizar essa situação fictícia como um instrumento para trazer vantagens a nossa sobrevivência, já que já foi comprovado que a ficção melhora várias de nossa capacidades, como as nossas habilidades sociais.


A reportagem prossegue botando em pauta essas duas teorias tendo como base vários dados de pesquisas e menções a vários especialistas em diferentes áreas, como psicólogos, pessoas que estudam a linguagem e autores. E foi uma matéria bem dinâmica e interessante, o que me surpreendeu, já que trata de coisas muito complexas e abstratas.


Gostei bastante de ambas as matérias e achei que valeu muito a pena comprar a revista, e acabei descobrindo vários dados bem interessantes sobre a leitura, um hábito que pra mim já é tão natural mas que é cientificamente tão complexo. E como eu coloco em todo final de resenha, mesmo não sendo dessa vez de um livro, vou deixar abaixo meus trechos favoritos mas dessa vez divididos em três categorias:


 Dados de pesquisa sobre a leitura:

"Cultivar o hábito da leitura ( e, em especial, da boa leitura ) surte efeitos nítidos: desenvolve a imaginação, o vocabulário e o conhecimento, a capacidade de associar - de usar a inteligência de forma mais plena, enfim."

"Há estudos que mostram que a ficção melhora nossa capacidade para empatia, nossas habilidades sociais e nossa inteligência emocional."

" [...] O mergulho nas histórias produz uma simulação tão vívida nos leitores quanto as simulações de realidade virtual no computador." 

"A ficção dota as pessoas de maior capacidade de empatia e compreensão dos outros." 

A pesquisa também afirma que os efeitos variam de acordo com a narrativa e o tipo de livro que você lê, mas já da pra usar esses dados contra sua mãe quando ela reclamar que você esta lendo demais, não? hihi


Falados da reportagem:

"As realidades opressivas que pesam sobre os personagens de Green são aquelas próprias da idade: inadequação, aborrecimentos escolares, paixões frustradas - e alguns dramas mais pesados: suicídio, câncer."


Frases diretas do John Green: 

"É essa ideia de que uma atitude positiva faz toda a diferença, e de que se pode derrotar até o câncer com o otimismo. Isso é uma ofensa às vítimas da doença." ( falando sobre o caráter real dos problemas vividos em seus livros )

"Deveria ser impossível sair da própria cabeça. Mas, lendo ou escrevendo, fazemos isso. E parece um milagre." 


Alguém ai teve a oportunidade de ler a revista também?

You Might Also Like

10 comentários

  1. Olá! Apesar de odiar a Veja eu li essa matéria e adorei! é muito bom saber quantas pessoas estão sendo influenciadas a entrar no mundo da leitura!

    http://www.whoisllara.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade!! *-* Eu também, nem costumo comprar revista >.>

      Excluir
  2. Essa matéria parece muito boa. John Green é um ótimo escritor, e, mesmo só lendo dois livros dele, já amo ele. Quero ler todos!

    The Lord of Thrones

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É boa sim *-* Verdade, John Green conquista com poucas palavras <3

      Excluir
  3. As pessoas veem o John Green como uma "modinha", mas a verdade é que ele fez com que muitas pessoas que não tinham o hábito de ler, simplesmente se apaixonassem pela literatura. O que é muito bom.

    http://www.laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Ai gente, por que eu não comprei essa revista? Haha. Eu amo matérias assim, principalmente quando tem opinião de várias pessoas e diferentes profissões, é tão legal ver outros pontos de vista e ver essas teorias! Se eu achar essa revista em alguma banca (o que acredito que vai ser quase impossivel) eu compro! →Meninas Quase Invisíveis

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, eu também adoro esse tipo de matéria, apesar de nem ler tantas revistas assim hihi Tente ver se acha ela em livrarias que é mais fácil, a minha eu comprei na Livraria Cultura ;)

      Excluir
  5. Eu não li essa reportagem, mas fiquei interessadíssima em procurar para ler. Gostei da forma como você abordou o tema de forma simples e rápida - o que hoje em dia é um necessário - sem deixar escapar os detalhes fundamentais.

    palavras-alienadas.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, flor, fico muito contente quando recebo esse tipo de feedback >.<

      Excluir

Flickr Images