Crescendo como Saumensch

Resenha | O Amor nos tempos de #likes

segunda-feira, junho 27, 2016 Julia Pinheiro 2 Comments


O Amor nos tempos de #likes é um livro com três contos inspirados em romances clássicos e escritos por quatro booktubers, Pam Gonçalves, Bel Rodrigues e  Hugo Francioni e o Pedro Pereira, do canal Pedrugo. O livro foi publicado esse ano na época do dia dos namorados pela Galera Record, tem 270 páginas - amareladas. Eu não costumo ler livros de contos, não sei o porquê, mas esse dai eu ganhei no evento da editora , que eu falei um pouquinho sobre aqui, e porque já acompanho a Bel a um tempo, fora que a Pam sempre foi uma grande booktuber brasileira, então pensei, porque não, não é mesmo?


O livro está divido em três contos, o primeiro, Próximo destino: Amor, escrito pela Pam e inspirado no clássico da Jane Austen, Orgulho e Preconceito; o segundo é (Re)começos, da Bel, e é inspirado em Dom Casmurro. Já o último foi escrito pelo Pedro e o Hugo, chama-se 337 km e foi inspirado em Romeu e Julieta.  Para ficar mais organizadinho, e como cada conto é diferente, vou falar deles separadamente, ok? ok, então.


O conto da Pam é escrito em primeira pessoa intercalando os capítulos entre do ponto de vista da personagem Liz e do William.

Liz é uma das maiores booktubers do Brasil, e sua mãe ainda acha que seu trabalho é apenas uma brincadeira e que o que a filha realmente precisa é arrumar um marido, quando ela na verdade preza muito mais pela sua liberdade e seu trabalho. Já William foi obrigado a tomar grandes responsabilidades, tomando conta da empresa da família e de sua irmã mais nova que tem anemia depois da morte dos pais, sendo obrigado a deixar muito de sua juventude de lado.
Duas personalidades tão diferente que acabam sendo forçados a uma convivência por uma pane no aeroporto, fazendo ambos reverem alguns de seus conceitos.


Esse foi o conto que eu menos gostei, o que eu achei uma pena, pois esperava bastante da Pam e gosto dela. Achei que o conto foi como um desabafo, talvez seja impressão - afinal não sabemos o quanto realmente conhecemos esse pessoal que vive na mídia - mas parecia que a Pam fez a história para compartilhar alguns pensamentos que ela mesma tem, como a dificuldade de balancear sua vida pessoal com a vida pública e lidar com os fãs. Essa foi a parte que realmente faz pensar, sobre o quanto esse pessoal que toma tanta bomba nas redes sociais são pessoas como qualquer um, mas o fato dela ter exposto isso de forma meio a "tirar o dela da reta" me incomodou um pouco, teria sido melhor se ela tivesse sido mais verdadeira e mandando logo um "me inspirei na minha realidade mesmo, e ta ai o que eu penso, e é isso".

Mas isso foi o que de longe me incomodou menos. Na verdade, deixando mais claro, achei que essa foi a parte legal. A parte que não me agradou foi que senti sendo um enredo muito forçado e dramático. O rolo todo da irmãzinha doente, o pobre menino que só quer que ela seja feliz, a pobre menina em confusão consigo mesma. Não sei, não engoli, apesar de não ser escrito de forma apelativa achei que como drama não comove como o esperado.

Quanto a inspiração em Orgulho e Preconceito prefiro não comentar porque como ainda não li o livro e só conheço a história, posso acabar falando besteira.

Daria nota três de cinco - e sendo bem legal - para o conto. 




O conto da Bel é escrito em terceira pessoa tendo como a maior parte o ponto de vista de Maddu, que esteve em um relacionamento abusivo duradouro e quando finalmente conseguiu se livrar dessa situação, acaba descobrindo que sua melhor amiga e esse seu ex-namorado começaram a namorar recentemente.

Muito afetada pela notícia, e principalmente pela traição da amiga e sua falta de notícias, Maddu precisa desesperadamente dar um tempo de toda aquela loucura e aqueles sentimentos que parecem lutar para ressurgir. Com isso, se aproveitando de seu aniversário e das férias escolares decide fazer uma viagem sozinha para Búzios e recomeçar sua vida, o que ela não esperava era um encontro às escuras - literalmente - em um bar local, com um misterioso garoto que está disposto em tentar entender que Summer do filme 50 dias com ela não é tão filha da mãe como ele pensava.


Nesse conto Bel conseguiu dar uma boa backstory para a Maddu, ainda mais considerando as poucas páginas da história, e estabelecer toda uma personalidade forte para a garota, cheia de gostos, vontades e pensamentos. Esse é um livro mais romancezinho, cheio de tenções e conversas reveladoras. Mas, novamente, eu, uma pessoa nada romântica incorrigível, me incomodei com a rapidez de tudo. Claro, era um conto, e não tinha muito espaço para a história se desenvolver, mas não desce para mim tanta conexão assim de uma vez. Confesso que esse é um problema da minha personalidade de uma monstrinha sem coração, porque fora isso é bem fofo e bem escrito, apesar de não ter conseguido perceber  uma relação com Dom Casmurro - coisa que na real nem me incomodou.

Daria três estrelas e meio, acho que chegaria a quatro sim caso eu não fosse essa pessoa nada romântica.




O último conto é narrado em terceira pessoa intercalando os pontos de vista de Júlio e Ramon. 337 quilômetros é o que separa Júlio, um jovem que sonha em publicar algum livro mas que lhe falta confiança para isso, restringindo seus trabalhos à grupos de fanfic, e Ramon, um outro jovem que saiu do interior para a cidade grande para poder fazer sua faculdade e que é preso à um trabalho com uma chefe que ele odeia.

Ambos acabam se aproximando pelo grande gosto que Ramon tem pelas histórias de Júlio, e depois de muitas mensagens trocadas, logo se vê que o interesse de um no outro está muito além de dicas de escrita. E se não bastasse a complicação da distância ainda há esse mal que de alguma forma infeliz ainda paira sobre nossa sociedade em pleno 2016: o fato de ser um casal homossexual.


Para quem conhece os meninos sabe que parece um pouco com a história de como eles se conheceram, que eles falam um pouco nesse vídeo, mas diferente do conto da Pam não me incomodei. O livro conseguiu trabalhar bem com a quantidade do tempo, dando oportunidade para os sentimentos terem mais espaço para se desenvolver de forma mais natural. Amei a escrita, que foi leve e muito, mas muito engraçada, e ainda assim conseguiu tratar de temas importantes. Fora que é sempre uma maravilha ver casais homossexuais finalmente ganhando cada vez mais espaço merecido na literatura. 

Romeu e Júlio? Amei! Nota quatro e meio e de longe meu novo amorzinho. Deveria ter ganhado mais páginas sim. Um romance natural e sem mimimi <3




Tive a oportunidade de discutir bastante com a Emily sobre o livro, o que foi ótimo e me fez ter algumas visões mais abrangentes do livro, porque, vejam bem, é um livro par aos dias dos namorados. É pra ser um livro leve, com romance água-com-açúcar, com tudo sendo mil flores. Esse é o objetivo do livro, que é um objetivo que não me enche os olhos - como já disse por aqui - e talvez esse tenha sido um grande diferencial na minha opinião sobre o livro, mas então, se você gosta dessa atmosfera diabética de "o romance está no ar" esse livro pode sim, ser bom para você.

Acabei deixando o livro com três estrelas,


Trechos favoritos:

"Você conhece muito mais sobre as pessoas se parar para olhar." 

"As pessoas seriam mais felizes se não vivessem a expectativa de outras pessoas." 

"O ódio e o amor caminham juntos. Muitas vezes eles são usados como disfarce. Pessoas que nos odeiam se fingem de amigas para aplicar o bote. E pessoas que nos amam fingem odiar por ter medo de amar. É muito mais fácil odiar que amar. No ódio você se fecha. No amor, se abre e fica vulnerável." 

"A pior parte de se decepcionar é justamente saber que você, um dia, deixou aquela pessoa à vontade o bastante para te magoar." 

"De nada adianta você ser um museu de arte e relacionar-e apenas com pessoas que não enxergam nada além do óbvio." 

"Nós não sabemos de nada, não sabemos como as coisas podem mudar se deixarmos o orgulho de lado. Nunca sabemos quando tudo pode dar errado"


Alguém ai já era fã dos booktubers? Já tinham ouvido falar do livro?

You Might Also Like

2 comentários

  1. Atmosfera diabética foi ótimo , hahaha .
    Eu ainda não terminei o livro e no momento estou no conto dos meninos do Pedrugo. Até agora , o que mais me agradou foi o da BEl , mas posso prever um empate com 337 km .
    Eu já esperava essa pegada mais água com açúcar , por isso não me decepcionei com nada .

    um beijo !


    rosasdifusas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito doce akjshkaksj

      O do pedrugo <3 <3

      Beijão!

      Excluir

Flickr Images