Crescendo como Saumensch

Resenha | Uma chama entre as cinzas

sexta-feira, junho 10, 2016 Julia Pinheiro 0 Comments


Uma chama entre as cinzas, escrito por Sabaa Tahir, estava fazendo um barulho danado na gringa em 2015 e o Grupo Editorial Record trouxe rapidinho aqui para o Brasil através do selo da Verus Editora. O livro tem 429 páginas ~ amarelas <3 ~ e é narrado em primeira pessoa intercalando o ponto de vista dos dois personagens principais: Laia e Elias. Apesar do ótimo trabalho de capa fiquei bem triste quando descobri que o livro lá fora vem com um mapa super legal, coisa que o daqui não tem D: ~porque faz isso comigo Verus?

Antes de tudo: é um livro de fantasia ( não sei porque, mas essa capa me parecia séria demais e não fazia ideia de que era um livro de fantasia ). A história é inspirada em um ambiente meio Roma Antiga, onde o imperador tomou conta do povo Erudito com uma força brutal, transformando sua antiga cidade conhecida pelas suas escolas e enorme fonte de conhecimento em uma base militar repleta de medo, onde quem toma conta da população são os Máscaras, pessoas treinadas para não demonstrarem qualquer tipo de sentimento e matar qualquer um que se oponha ao império.


No meio desse cenário vive Laia, uma Erudita que vive com os avós e o irmão mais velho de forma bem simples, até que um Máscara invade sua casa e leva seu irmão preso acusando-o de traição. Sabendo que poucos sobrevivem por muito tempo nas mãos do Império, Laia busca os rebeldes, que em troca da ajuda pede que ela abra mão daquilo que lhe é mais pessoal: sua liberdade. Laia terá que servir de espiã trabalhando como escrava da comandante dos Máscaras.

Elias abriu mão de sua liberdade no dia em que foi escolhido para servir aos Máscaras. Odiando o Império e sendo forçado a servi-lo Elias vive uma vida que odeia e está disposto a arriscar tudo para fugir disso. Até que os Adivinhos - líderes espirituais e místicos - revelam que o dia da profecia chegou: a linhagem do atual Imperador acabou, e um novo será escolhido dentre os quatro melhores soldados da Academia através de uma sequência de provas chamadas as Eliminatórias. O evento acaba com os planos de Elias, que como o melhor soldado, é chamado para cumprir seu dever e lutar nas Eliminatórias pelo cargo de imperador, caso perca, seu destino será a morte. 

E nessa confusão, vida desses dois estranhos de mundos diferentes acaba sendo mais entrelaçada do que podem imaginar.


Confesso que achei que fosse implicar pela semelhança com Legend, mas estava totalmente enganada. Sabba Tahir entrelaça as duas história com maestria e singularidade e a passos lentos. No começo você duvida que esses personagens possam realmente ter a ver, mas aos pouquinhos Tahir vai construindo situações em que permite que isso ocorra de forma natural, pois ao mesmo tempo eles continuam vivendo suas vidas de forma separada, e eu amei isso porque fez com que o leitor conhecesse por inteiro o mundo criado por Sabaa

Laia nos colocava a par das situações, histórias e terrores vividos pelo povo Erudito, situações que Elias jamais poderia ver já que não viveu entre eles, da mesma forma que ele nos coloca a par de como realmente funciona a Academia e o Império, e da crueldade que também paira sobre os soldados, de um modo que Laia, por não ter ideia, também jamais poderia nos contar com tamanhos detalhes.

Os personagens também foram muito bem descritos e desenvolvidos. Todos tem personalidades muito fortes, até mesmo aqueles que não aparecem tanto você consegue vê-los com a dimensão de pessoas reais que também tem  muitas histórias não contadas, mas de tudo o que mais amei foi a humanização dos personagens. 

Uma perfeita descrição do livro ~palmas palmas
O mundo criado por Tahir é duro e cruel e ela conseguiu fazer seus personagens sentirem de fato esse mundo. Geralmente vemos personagens fortes e destemidos, ou que se tornam fortes e destemidos, ou até aqueles personagens que se acham fortes e destemidos mas não são e só fazem besteira e nos tirar dos nervos, mas não é o que vemos no livro. 

Vemos pessoas reais, cheias de medos e indecisões, que estão constantemente assombrada pelos próprios demônios e muitas vezes não tem ideia do que estão fazendo, mas pela urgência da situação se forçam a continuar acima de tudo. Vi principalmente isso em Laia, e amei. Ela é uma menina simples e medrosa, mas que faz feitos incríveis apenas pelo desespero de ter de faze-los. Porque uma heroína não é aquela pessoa forte e sem medos, e sim aquela que mesmo cheia de medo consegue sem badass. PALMAS PARA SABAA! 


Um cenário inspirado na Roma Antiga, uma feroz batalha pela liberdade em face da tirania e uma vilã que faz Cersei Lannister e Dolores Umbridge parecerem amadoras patéticas [...]. Uma chama entre as cinzas está no topo da lista de leituras obrigatórias de 2015.- MTV.com 

Amei o clima árido do mundo criado por ela  - as vezes chegada a sentir o cheiro de sol e areia- , amei os personagens e suas confusões, amei o misticismo e as lendas que envolvem as pessoas, amei as discrições extremamente reais e cruéis da vida como escrava de Laia, amei a escrita, amei amei amei amei! Cinco estrelas, mais favorito e mais um desespero eterno pelo próximo livro. Devorei o livro e o final deixa grandes expectativas quanto ao próximo. Esse é um livro que vai envolver até quem não gosta de fantasia.  


Trechos favoritos:

"A vida é feita de tantos momentos que não significam nada. Então, um dia, ocorre um único momento que define todos os segundos depois dele" 

"A vida já é dura o suficiente sem que você tenha que evitar espaços inteiros em sua própria cabeça." 

"Existem dois tipos de culpa. Aquela que é um fardo e aquela que lhe dá um propósito. Deixe que a culpa seja seu combustível. Deixe que ela te lembre de quem você quer ser. Trace uma linha em sua mente e nunca mais a ultrapasse. Você tem uma alma. Ela foi ferida, más está aí. Não deixe que tirem isso de você." 
  
"Medo demais e você está paralisada. Medo de menos e você se torna arrogante."



Alguém ai já tinha ouvido falar do livro?

You Might Also Like

0 comentários

Flickr Images